Compartilhe:
Centrífuga para Laboratório: Dicas de limpeza e manutenção 4

Dicas de limpeza e manutenção em centrífugas para Laboratório

Na centrífuga para laboratório, o rotor e os acessórios estão sujeitos a alta tensão mecânica. Por isso, é muito importante conhecer as dicas de limpeza e manutenção em centrífugas para Laboratório para prolongar a vida útil e evitar falhas prematuras.

Seguem algumas dicas de limpeza e manutenção em centrífugas para laboratório.

  • Os usuários de centrífugas para laboratório devem ler e manter o manual de instruções de fácil acesso, em caso de dúvidas.
  • A limpeza deve ser feita em intervalos regulares (semanais/mensais, dependendo do uso) e logo após qualquer derrame de amostra.
  • Desligue a centrífuga para laboratório e limpe seu exterior com pano levemente úmido com água detergente suave.
  • Evite substâncias corrosivas e agressivas, não use solventes, não use agentes com partículas abrasivas e não exponha a centrífuga de laboratório e os rotores a radiação UV intensa ou estresse térmico, como por exemplo a secagem em uma estufa de laboratório.
  • Em caso de centrífugas refrigeradas, após o uso, remova o rotor e seque a câmara de centrifugação para evitar congelamento. Deixe a tampa da centrífuga aberta a noite toda para evaporar a condensação.
Sistema G-lock Sigma

A Sigma possui sistema G-lock, patenteado, para a troca de rotores sem uso de ferramentas ou necessidade de apertar nenhum botão. Essa tecnologia também facilita a retirada do rotor da centrífuga para limpeza. Conheça mais sobre o sistema g-lock aqui.

  •  Após o uso remova cuidadosamente todos os líquidos – água e particularmente todos os solventes, ácidos e soluções alcalinas – da câmara do rotor usando um pano para evitar danos aos rolamentos do motor.
Centrífuga para Laboratório: Dicas de limpeza e manutenção
Figura 1: Ilustrativa
  • Enxágue imediatamente o rotor, as caçapas/ buckets e os acessórios com água corrente se tiverem entrado em contato com líquidos, evitando assim corrosão. Use uma escova para tubos de ensaio para limpar os orifícios dos rotores angulares. Vire o rotor de cabeça para baixo e deixe-o secar completamente. Para evitar que as tampas dos rotores fiquem desgastadas/ danificadas, as mantenha separadas.
Se quer conhecer as principais diferenças entre rotores angulares e basculantes, leia aqui.
  • Limpe os acessórios fora da centrífuga para laboratório uma vez por semana ou de preferência após cada utilização. Almofadas de borracha devem ser removidas, limpas e secas. Use água com sabão ou agentes de limpeza suaves com um valor de pH entre 6 e 8 para limpar a centrífuga e os acessórios. Não limpe os acessórios na máquina de lavar vidraria ou qualquer outro dispositivo semelhante !
  • Se necessário, o rotor, tampa, caçapas e adaptadores podem ser autoclavados. Veja as características de resistência térmica de cada acessório no manual. A vida útil dos acessórios depende essencialmente da frequência da autoclavagem e do uso. Durante a autoclavagem, as tampas dos tubos não devem ser parafusadas, evitando assim a deformação dos tubos.
  • Lubrificação: Ao usar acessórios de alumínio, lubrifique os parafusos de suporte de carga do rotor basculante após cada limpeza com uma pequena quantidade de graxa. Verifique se a graxa antiga foi removida, na limpeza.
Centrífuga para Laboratório: Dicas de limpeza e manutenção 1
Figura 2: Lubrificante nos suportes dos buckets
  • Posteriormente, instale o bucket e balance-o manualmente para frente e para trás para distribuir a graxa.Ao usar acessórios de plástico, os suportes não devem ser lubrificados!
  • Lubrifique levemente o eixo do motor após a limpeza e espalhe a graxa com um pano (camada fina).
Centrífuga para Laboratório: Dicas de limpeza e manutenção 2
Figura 3: Lubrificante no eixo do rotor
  • Lubrifique o parafuso de fixação do rotor após a limpeza (camada bem fina)
Centrífuga para Laboratório: Dicas de limpeza e manutenção 3
Figura 4: Lubrificante no parafuso
  • Uma vez por dia ou após 20 ciclos, o parafuso de fixação do rotor deve ser afrouxado algumas voltas e o rotor deve ser levantado e apertado novamente, garantindo assim uma conexão adequada entre o rotor e o eixo do motor

Verifique regularmente o material (pelo menos uma vez por mês):

  1. Rachaduras
  2. danos visíveis da superfície
  3. marcas de pressão
  4. sinais de corrosão
  5. Outras mudanças.
  6. Verifique os orifícios dos rotores e dos suportes.

Substitua imediatamente qualquer componente danificado para sua própria segurança.

Recomendações nas centrifugas da Sigma:

As centrífugas para laboratório da Sigma são sujeitas a alta tensão mecânica, assim como todas as demais centrífugas de outros fabricantes.

Portanto, para suportar esse alto nível de estresse, são utilizados componentes de alta qualidade na produção da centrífuga para laboratório.

No entanto, o desgaste é inevitável e pode não ser visível do lado de fora. Especialmente as peças de borracha, como por exemplo parte da suspensão do motor, estão sujeitas a envelhecimento.

É por isso que recomendamos que a centrífuga seja inspecionada por um profissional qualificado uma vez por ano, e desmontada a cada três anos, quando as peças de borracha devem ser substituídas.

A Sigma é um dos principais fabricantes internacionais de centrífugas de laboratório para diversos setores, e você pode adquirir por Importação Direta, contando com a experiência da Biovera na preparação da documentação em acordo com as normas da Aduana Brasileira.