Compartilhe:
Como escolher o processador ultrassônico correto

Como escolher o processador ultrassônico correto

Existem sempre muitas dúvidas sobre como escolher o processador ultrassônico correto, de acordo com o modelo adequado para sua aplicação.

Sabemos que as vezes limitações financeiras fazem nossa escolha também mudar, mas inicialmente trataremos apenas de questões técnicas que orientem esta decisão.

A Sonics Vibra-Cell possui modelos com diferentes capacidades de processamento e potência, ou seja, volumes diferentes de amostras.

Respondendo ao nosso primeiro questionamento, podemos seguir os passos abaixo para a correta escolha do sonicador adequado.

1- Qual é o volume MÁXIMO de amostra que será processado / sonicado?

Colocamos em negrito o termo MÁXIMO, pois é ele quem vai definir o maior volume que será processado.

Esta capacidade é definida inicialmente pelo controlador do sonicador de ponteira e seu conversos e em um segundo momento pela sonda. Para entender melhor estes componentes, acesse o post “O que é um processador ultrassônico ou sonicador“.

A Sonics possui modelos com capacidades máximas diferentes, como por exemplo:

  1. Até 150 ml: Processador Ultrassônico Sonics Vibra-Cell VCX 130
  2. Até 1 L: Processador Ultrassônico Sonics Vibra-Cell VC 505 , VCX 500 ou VCX 750
  3. Acima de 1 L: Temos os modelos VCX 1500 (até 20 litros) ou o VCX 2500 (até 50 litros)

Sobre os modelos listados no item 2 acima, precisamos avaliar a necessidade de uma potência maior (500 ou 750 W), basicamente em função da dificuldade de processar uma amostra (viscosidade, parede celular com difícil rompimento, etc) assim como a necessidade de monitoramento da temperatura, existente nos modelos VCX 500 e VCX 750.

Estes modelos com “X” (exceto o VCX 130) têm a função de monitorar a temperatura da amostra.

Portanto, o usuário define no controlador a temperatura máxima que sua amostra pode chegar , impedindo assim a degradação da mesma ou a perda de solvente volátil por exemplo.

Colocamos dentro da amostra o sensor de temperatura que é conectado ao controlador, e o sonicador irá parar automaticamente o processamento quando esta temperatura for atingida. Quando a temperatura for reduzida, o processamento retornar automaticamente a ocorrer.

Após a escolha do modelo adequado, passamos ao segundo passo: a escolha da sonda ou micro sonda correta.

2 – Escolha da Sonda ou micro sonda para processador ultrassônico

A escolha da sonda ou micro sonda leva em consideração os volumes de trabalhos, que serão limitados pela capacidade do controlador do sonicador de ponteira, ou seja, sua potência.

Recomendamos a leitura do artigo: Sonda, microssonda e microponteira para sonicador para entender suas principais diferenças.

Já vimos que a capacidade de processamento de uma sonda ou microssonda é relacionada com seu diâmetro.

Entretanto, também precisamos avaliar neste momento o menor volume que será processado, e consequentemente o frasco onde a amostra será colocada ……. uma sonda de 25 mm de diâmetro não será capaz de entrar em um tubo tipo eppendorf de 2 ml. Portanto, esta analogia é muito importante também para que o uso seja adequado.

Se o modelo de sonicador escolhido foi o VCX 130, temos basicamente 4 modelos de micro sondas, conforme abaixo:

Como escolher o processador ultrassônico correto
Imagem 1- Modelos de microsondas para sonicador de ponteira VCX 130

Se o modelo de sonicador escolhido foi o VC 505, o VCX 500 ou o VCX 750, temos os modelos abaixo de sondas:

Como escolher o processador ultrassônico correto
Imagem 2 – Modelos de sondas para sonicadores de ponteira VC 505, VCX 500 e VCX 750

Nesta tabela da Imagem 2, temos sondas sólidas e sondas com as ponteiras substituíveis.

Portanto, neste momento, lembramos um ponto já falado anteriormente: Não recomendamos aos clientes a utilização de sondas com ponteiras substituíveis !

3 – Processando grandes volumes

Os processadores ultrassônicos VCX 1500 (até 20 litros) e o VCX 2500 (até 50 litros) já vêm acompanhados de sondas específicas.

O único comentário adicional sobre estes dois modelos, é que recomenda-se a utilização em conjunto com um agitador mecânico de hélice, como o IKA RW 20, melhorando assim a condição a homogeneidade do processamento devido ao grande volume de amostra dentro do “frasco”.

Por final, se ainda persistem dúvidas sobre como escolher o processador ultrassônico correto, recomendamos a consultar nossos especialistas treinados na fábrica da Sonics nos Estados Unidos.

Se você quer contribuir para melhorar este texto, fazer alguma correção ou até mesmo compartilhar seu trabalho desenvolvido com nosso equipamento, teremos a maior satisfação em receber seus comentários.