Compartilhe:
Incineração e Análise de cinzas com mufla imagem 2

Incineração e Análise de cinzas com forno Mufla

Neste artigo, iremos abordar as principais aplicações, equipamentos e principio de funcionamento utilizado para a Incineração e Análise de cinzas com forno Mufla.

A Incineração é um procedimento analítico no qual uma amostra é aquecida em um forno mufla para deixar um resíduo de cinza, seja para determinar o conteúdo mineral bruto, ou como uma preparação para análise posterior, como por exemplo a caracterização dos componentes inorgânicos por meio de fluorescência de raios X, espectroscopia de massa.

Para a análise de cinzas, é de vital importância conseguir a combustão completa da amostra.

Principais Aplicações para Incineração e Análise de cinzas:

  • Primeiro passo na análise de componentes minerais ou inorgânicos totais em uma amostra de material orgânico
  • O processo queima todos os componentes orgânicos que saem dos compostos inorgânicos, que podem então ser identificados por análises posteriores
  • Determinação do teor de cinzas para controle de processo e qualidade
  • Alimentos e rações para animais
  • Plásticos
  • Comprimidos farmacêuticos e produto
  • Petróleo e frações na indústria petroquímica

Equipamento para análise de cinzas:

A Nabertherm possui forno desenvolvido especificamente para análise de cinzas, o forno para calcinação Nabertherm LV(T) . Nele, o ar entra através de um orifício na parte posterior do forno, então ele é aquecido ao passar pelas resistências, e, após percorrer a câmara, o ar é puxado pelas altas chaminés. Essas adaptações permitem um ciclo de seis renovações de ar por minuto, fazendo que a combustão seja mais eficiente, além de garantir uma ótima uniformidade da temperatura.

 

Incineração e Análise de cinzas com Mufla 1

Incineração e Análise de cinzas com Mufla 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Princípio do fluxo de ar no forno Nabertherm para análise de cinzas:

  1. O ar entra por um orifício na parede posterior do forno, e é pré-aquecido ao passar pelas resistências superiores
  2. Depois o ar então circula pela câmara, passando também, pelas resistências inferiores
  3. O ar então é puxado pela chaminé alta

Algumas amostras podem produzir uma grande quantidade de fumaça, de modo que, em alguns casos, podem ser necessários fornos especializados, como o  Forno para Incineração com Pós Combustão Nabertherm, projetado para fornecer mais fluxo de ar ou processar o fumo com um pós-combustor.

Através de um exaustor de gás, os gases de combustão são aspirados do forno, ao mesmo tempo que se introduz ar fresco na atmosfera do forno, garantindo-se assim uma quantidade de oxigênio sempre suficiente para o processo de incineração. O ar que entra é conduzido pelo aquecimento do forno e pré-aquecido, assegurando-se desta forma uma boa uniformidade da temperatura.

Sistema de pós-combustão integrado
Sistema de pós-combustão integrado

Ou seja, os gases de exaustão gerados são conduzidos da câmara do forno para o sistema de pós-combustão integrado, onde são queimados e limpos de forma catalítica. Imediatamente após o processo de incineração (até um máx. de 600 °C), pode-se realizar o processo a uma temperatura máx. de 1100°C.

Por fim, precisa de ajuda para definir qual forno para análise de cinzas é o ideal para a sua aplicação? Entre em contato e fale com um de nossos especialistas.

Lembrando que você também pode adquirir seu equipamento por Importação Direta, contando com a experiência da Biovera na preparação da documentação em acordo com as normas da Aduana Brasileira.

Gostou do artigo sobre Incineração e Análise de cinzas com forno MuflaVisite também nosso blog e conheça mais sobre este e outros equipamentos para laboratório.