Compartilhe:
COVID-19: Como é feito e para que serve o álcool em gel 2

COVID-19: Como é feito e para que serve o álcool em gel

Em 2020 estamos enfrentando uma pandemia ocasionada pelo coronavírus SARS-CoV-2, o  COVID-19. Portanto, precisamos estabelecer novos hábitos no nosso dia-a-dia para nos prevenir do contágio por este vírus.

As medidas importantes são a correta e frequente lavagem das mãos com água e sabão ou álcool gel (álcool etílico ou etanol) na concentração de 70% (p/p) ou 77ºGL. Esta última opção é mais prática e acessível no dia-a-dia, como por exemplo durante deslocamentos e momentos em que usar água e sabão não é possível.

Mas você sabe como o álcool 70% é feito e quais os equipamentos necessários para sua produção?

 

"<yoastmark

O que é?

O álcool etílico ou etanol é uma substância orgânica produzida a partir do processo de fermentação de amido e outros açúcares de fontes naturais como a cana de açúcar ou outros compostos de origem vegetal. Ele é utilizado na produção de combustíveis, bebidas e antissépticos.

Para que serve o álcool 70%?

O álcool 70% pode ser utilizado como antisséptico (aplicar sobre a pele) e como desinfetante (aplicar sobre as superfícies ou objetos a serem desinfetados). Ele possui propriedades microbicidas eficazes para eliminar os microorganismos mais frequentemente relacionados a diversas infecções, inclusive o Covid-19. O álcool é um elemento imprescindível na realização de ações simples de prevenção como a antissepsia das mãos, a desinfecção do ambiente e de artigos médico-hospitalares, prevenindo assim o contágio e disseminação de diversas doenças.

A sua versão em gel se destaca por sua fácil aplicabilidade, toxicidade reduzida e causa menos ressecamento à pele do que a versão líquida. O álcool em gel é também mais seguro, pois é menos inflamável que o álcool 70% líquido.

Como o álcool 70% deve ser usado para prevenção do Covid-19?

O álcool líquido 70% pode ser usasdo para limpeza e desinfecção de superfícias com o auxílio de um pano limpo. Já o álcool em gel pode ser usado tanto para a desinfecção de superfícies e também sobre a pele.

Eles devem ser usados em toda área potencialmente contaminada. Lugares onde as pessoas colocam as mãos com frequência como por exemplo maçanetas, corrimão e botões de elevadores são lugares que devem ser higienizados com frequência para evitar o contágio pelo Coronavírus e por outros patógenos.

Para higienizar as mãos, deve-se aplicar então uma pequena quantidade do produto e garantir que o mesmo seja espalhado por palma e dorso das mãos, entre os dedos, pontas de dedos e pulso.

Por que a concentração deve ser de 70%?

 A mistura de etanol e água (o que conhecemos como álcool) na concentração de 70% de etanol é a concentração ideal para matar os microorganismos. Este produto tem a quantidade ideal de água para facilitar a entrada do álcool no interior do microorganismo, que pode ser bactéria, fungo ou vírus, como o Coronavirus.

Portanto a  água precisa fazer parte da composição do álcool para  impedir a desidratação da parede celular externa do microorganismo, possibilitra a entrada do álccol no dentro dele. Além disso, a água retarda a evaporação do álcool, fazendo que que ele fique mais tempo de contato com o  microorganismo, potencioalizando a ação como antisséptico,  levando à sua destruição do microorganismo.

Concentrações maiores de etanol, como o álcool comercial de 92,8 % ou o etanol absoluto (99,6%) não são eficientes para matar os microorganismos. A alta concentração faz com que desidratem sem ser eliminados. Do mesmo modo vale para concentrações menores, presentes em outro produtos antisséptico: a baixa concentração de álcool não elimina os microorganismos, bem como o Coronavírus.

Como é feito o álcool 70% Líquido?

 A solução líquida é feita pela mistura de água e álcool etílico. Dependendo da concentração do álcool disponível, teremos uma condição de mistura necessária.

Entretanto, algumas características químicas e considerações técnicas, como a temperatura ambiente e densidade dos componentes da mistura por exemplo, devem ser utilizadas neste cálculo. Portanto, por ser um produto desinfetante, recomendamos consular as normas técnicas da Anvisa mais atuais.

Logo, neste artigo, não entreremos em detalhes técnicos, mas faremos apenas referências às normas atuais pertinentes, tanto Brasileira como a ANVISA quanto internacionais, como por exemplo a OMS.

Conforme NOTA TÉCNICA No 3/2020/SEI/DIRE3/ANVISA de 24 de março de 2020, o “O Alcool Elico 70% INPM é uma preparação oficinal descrita na Revisão 2, da 2o Edição do Formulário Nacional da Farmocopéia Brasileira”

Portanto, na página 57 deste formulário, temos todo o detalhamento técnico com a recomendação de preparação em volume.

Em resumo, a orientação da ANVISA é :

     COMPONENTES       QUANTIDADE
    álcool etílico 96 °GL     81,3 mL
    água purificada qsp     100 mL

A mistura dos componentes desta solucão podem ser feitas utilizando um agitador magnético ou um agitador mecânico, para obter uma mistura homogênea.

Agitador Magnético com Aquecimento IKA HS 7
Agitador Magnético com Aquecimento IKA HS 7

E como é feito o álcool 75% Glicerinado?

Seguindo o mesmo conceito e fontes acima descritas, na página 61 deste formulário, temos todo o detalhamento técnico com a recomendação de preparação.

O álcool glicerinado é feito com álcool etílico 96 ºGL, glicerol, peróxido de hidrogênio 3% (p/v) e água.

Em resumo, a recomendação da ANVISA é:

COMPONENTES

QUANTIDADE

álcool etílico 96 °GL

83,33 mL

glicerol

1,45 mL

peróxido de hidrogênio 3% (p/v)

4,17 mL

água purificada qsp

100 mL

 

Entretanto, por ser um produto de maior viscosidade, não podemos utilizar o agitador magnético recomendado na preparação do álcool líquido.

E mistura deve ser realizada portanto com auxílio de um agitador mecânico, obtendo assim um produto final mais homogêneo, conforme imagem abaixo.

Como é feito o álcool em gel - IKA RW 20
Agitador Mecânico de Hélice IKA RW 20 Digital

 

E para a formulação do álcool Gel ?

Já o álcool em gel, seguindo ainda a Farmacopéia acima da ANVISA, utilizamos produtos chamados de agentes espessantes, aumentando assim a viscosidade do líquido para conferir a textura em gel ao álcool.

Entretanto, o agente espessante mais utilizado para a produção de álcool em gel é o carbômero.

 

COMPONENTES

QUANTIDADE

álcool etílico 96 °GL

75,73 g

carbômer 980

0,5 g

solução de trietanolamina a 50% (p/v)

qs

água purificada qsp

100 g

 

Assim como o álcool glicerinado, o álcool em gel é viscoso, e, portanto, a sua mistura deve ser realizada com auxílio de um agitador mecânico, para obter uma mistura homogênea.

"<yoastmark

  Cuidados no armazenamento

 Para cada tipo de álcool, ainda segundo a Farmacopeia Brasileira, deve-se seguir as recomendações específicas de armazenamento, evitando assim acidentes e também mantendo a qualidade do produto, conforme abaixo:

 

  • ETÍLICO 70% (p/p): Armazenar em recipiente adequado, de vidro âmbar ou plástico opaco de alta densidade, perfeitamente fechado e ao abrigo da luz, à temperatura ambiente.

 

  •  ETÍLICO GLICERINADO ou GEL: Armazenar em recipiente adequado, de plástico, bem fechado, protegido da luz, em temperatura inferior a 25 °C.

 

No mais a  Anvisa, através da Nota Técnica 01/2020 – Quarta Diretoria exige ainda que no rótulo/embalagem devem constar algumas informações, como por exemplo os dados do fabricante (Razão Social, CNPJ, Endereço, telefone do estabelecimento) validade, concentração do álcool, indicação de uso, formulação qualitativa completa e as advertências, como por exemplo:

  • Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC);
  • Proteger da luz, do calor e da umidade;
  • Uso externo, mantendo sempre fora do alcance de crianças;
  • Pessoas com hipersensibilidade aos componentes não devem usar o produto;
  • Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o médico

Em resumo, a Biovera fornece os equipamentos necessários para a fabricação do álcool em gel, com condições imperdíveis, para todo o Brasil!

Gostou do artigo: COVID-19: Como é feito e para que serve o álcool em gel ?  Temos ainda mais conteúdo no nosso site, clique aqui e boa leitura.

Fontes:

Guia de Produção Local: Formulações de gel antisséptico recomendadas pela OMS (OMS – abril/2020)

NOTA TÉCNICA 01/2020 – QUARTA DIRETORIA (ANVISA)

Revisão 2, da 2º Edição do Formulário Nacional da Farmacopéia Brasileira (2012)

Orientações Gerais para produção de formulações antissépticas alcoólicas